Artigo: Você joga futevôlei?

5 motivos para se fazer essa pergunta na entrevista de emprego

O futevôlei é um dos esportes que mais cresce. Mesmo durante a pandemia, o número de praticantes, escolinhas e campeonatos mais que dobraram. E não foi só aqui no Brasil, não… Virou febre pelo mundo afora e tem até seu campeonato mundial; teve etapa no ano passado no Rio, inclusive.

Os motivos pra esse crescimento são óbvios. O esporte é muito plástico, é um puta exercício físico, da pra jogar até mais velho, vicia ambos os gêneros… E o principal: o futevôlei é o irmão mais novo e mais cool do futebol. E o futebol é disparado o esporte mais praticado e assistido do mundo.

Mas, a ideia aqui não é falar do que o futevôlei é… E sim do que ele produz: pessoas mais prontas para a vida! Pessoas que você certamente gostaria de contar em sua equipe, pois possuem várias softskills, super desenvolvidas pelo esporte. E aqui vão 5 delas:

1.     Resiliência

Jogar futevôlei é MUITO difícil! É com o pé, na areia, a quadra é relativamente grande…

Consequentemente, só consegue chegar a um nível mínimo de jogo aqueles que são esforçados, que não desistem fácil e não largam o osso até chegar ao objetivo.

2.     Disposição e intensidade

Desde a montagem do montinho para pôr a bola no saque, a exigência é grande. Você participa de todos os pontos, não tem descanso; e com uma intensidade sempre alta. Aliás, se você diminuir a intensidade, você se afunda e leva sua dupla junto.

3.     Inteligência emocional

Assim como a exigência física, a mental é altíssima. O bom jogador de futevôlei é alguém com uma mente forte para não deixar os adversários (e as adversidades) “entrarem na sua cabeça” e otimista para saber que o próximo ponto vai ser seu.

4.     Senso de urgência

Falando em próximo ponto… Leve isso como um mantra pra sua vida: ELE É SEMPRE O MAIS IMPORTANTE! Esquece o que passou e esquece lá na frente! Foca em fazer esse próximo ponto e, de preferência, rápido! Rali só é maneiro no Instagram… Na quadra e na vida, o segredo está em gerar o maior impacto, com o menor esforço possível.

5.     Destemido

A pior característica que uma pessoa pode ter é medo de errar. Ele é uma âncora que segura seu aprendizado e sua evolução. E pra você pontuar no futevôlei, você tem que atacar a bola com vontade e/ou “fintar” o adversário para surpreende-lo. Ou seja, se você não arriscar minimamente, sua bola não vai cair e sua derrota é certa.

É claro que pra toda regra há exceções, mas pode confiar que vai valer a pena, na próxima vez que você for entrevistar alguém pra sua equipe, pergunte: Você joga futevôlei?

Curtiu? Leia também o artigo Por que não gamificar?

Flávio Stoliar é CEO da PlayerUm, uma startup de gamificação corporativa, e Podcaster do PlayerTalks, o primeiro podcast gamificado do mundo! 

Conheça também o podcast gamificado com Bernardinho!